Brasil - Recife
25 Set 2015
// Turistando, POR Carolyne Veloso

Volteeeeeeeei! Pessoas, as minhas férias foram bem corridas. Só para que saibam, o mês de agosto, para mim, foi o mesmo que um ano. Mesmo assim, fui ao Brasil e tenho umas fotinhos para mostrar a vocês. Não tenho muito o que mostrar, porque passei apenas 10 dias e o intuito não foi ir para passear. Ainda assim, tenho uns cliques de Recife. Nada de especial, para ser sincera, mas sempre há o que mostrar.

E tudo começou assim...

Tem foto mais cliché (=clichê) que esta? A sério, pessoas, toda a gente tem uma foto do céu.

 

Nada melhor e a cara do Brasil que uma bela água de coco. Genteeee, eu amo água de coco. É uma pena não ter aqui. Sim, a verdade é que até tem, mas aquelas engarrafadas ou enlatadas não são tão boas.

 

#MomentoOstentação

 

E com vocês, a praia de Boa Viagem, uhuuuuuul! Também conhecida como a praia dos tubarões, ahahah! Sempre que eu digo que sou de Recife, a primeira coisa que as pessoas me perguntam é se é mesmo verdade que lá tem muitos tubarões. Amigos, de uma vez por todas: TEM! Mas também tem muitas plaquinhas que avisam onde eles estão mais presentes, percebem?

 

 

Eu já tinha publicado esta fotografia na nossa página do Facebook, mas resolvi publicar aqui também. Já agora, quem não nos segue lá na página, basta dar um clique em cima do nome que está a cor de rosa e, logo em seguida, clicar onde diz "like" ou "curtir". #ObrigadaDeNada

 

Para quem gosta de correr e fazer qualquer outro tipo de exercício físico, aqui está uma dica, meus caros: correr no calçadão da praia! Tem sensação melhor que esta? Não, não tem. E para quem gosta mesmo da coisa, ainda pode usufruir destes equipamentos de graça. Resumindo e concluindo: só não mantém o "corpitcho" quem não quiser. 

 

 

E vamos para a feirinha de Boa Viagem...

 

 

 

Para quem gosta de arte e quer levar uma lembrança para um amigo, esta feirinha tem coisas muito giras (=bonitas) e que são a cara de Recife. Os preços variam bastante: tem coisas muitos caras, mas também conseguem encontrar algo mais em conta. 

 

E não podemos falar em arte e não falar em Romero Britto, que é natural de Recife e radicado nos Estados Unidos. Gente, ele é demais! Não tem como desconhecer os seus trabalhos. Estão a ver esta malinha (=bolsinha) acima? Trouxe uma para mim, uhuuul, e tenho umas sabrinas (=sapatilhas) no mesmo padrão. #EstouAceitandoUmaMalaDeViagemDeleTambém

 

 

E olhem para este porta copos...lindo, não?!

 

Porque a pessoa estava de olho em outra coisa, mas deu de cara com o salsichão. Para quem não sabe, o nosso amigo "salsichão", nada mais é que um tipo de salsicha. É muito bom, por sinal, e fazia anos que eu não tinha comido porque da outra vez que estive no Brasil, eu nem me lembrei de comer. 

 

Momento "Lojas Americanas". Sabem aquela loja que tem de tudo um pouco? É tipo isso! A minha parte preferida é a dos chocolates, batatas e coisas da mesma família. Neste momento, eu acho que estava a rir com o preço das coisas. O Brasil me surpreendeu com tudo tão caro.

 

Eu fui almoçar no Shopping Rio Mar, gente! É um centro comercial novo, enorme e muito lindo! 

Restaurante Giraffas, gostei da comida de vocês e adorei a ideia deste controle que vibrava para sabermos que a nossa comida estava pronta. 

 

 

 

Sim, tirei uma foto desta máquina de secar as mãos porque gostei e decidi postar aqui. Lol

 

Sem querer me desfazer de todas as outras partes do shopping, a área que eu mais gostei foi a do terraço porque dá para ver o centro da cidade e o rio Capibaribe. Sem falar que as fotos por lá ficam lindas. 

 

 

 

Não sei se vocês conseguem ver, mas lá atrás está o rio. Se eu tivesse sido mais espertinha, eu tinha ido tirar as fotografias mais cedo e aí, sim, dava para vocês verem melhor.

 

Andando ainda pelo shopping, nos deparamos com uma feirinha onde cada stand vendia coisas de um país diferente. Não tirei mais fotos, mas adorei este relógio e as rosas feitas em madeira que vocês poderão ver logo a seguir. 

 

 

Para acabar com chave de ouro, vamos falar em comidas:

Fandangos é algo que eu gosto, mas que aqui não tem. No Brasil, chamamos a isto "salgadinho". Aqui, em Portugal, chamamos "batatas". 

 

Caldinho de feijão, que é ótimo e vale muito a pena experimentar!

 

Guaraná! Aqui tem, mas esta garrafa enorme me surpreendeu. Acho que ainda  não havia uma garrafa de 3,0L em 2012. 

 

Hambúrger de rua #MomentoEngordar

 

Meninas, fico por aqui. Peço imensas desculpas pela minha ausência. Espero que vocês gostem deste post, apesar de não ter muito conteúdo. Para a próxima que for ao Brasil, apresento-vos a minha cidade como deve ser, sim?! Como disse logo no início do post, foi uma viagem muito rápida, então não tive muito o que mostrar porque estes poucos dias não foram férias. Enfim...fico por aqui e espero pelo vosso feedback.

 

Beijooooo e aquele abraço!

Holanda - Amsterdam
31 Mai 2015
// Turistando, POR Carolyne Veloso

Voltei com mais um post, pessoas! Vim mostrar um pouco de Amsterdam...é que é só um pouco mesmo, mas já dá para despertar o vosso gostinho em conhecer a cidade. Não me vou prolongar muito agora, porque fica  mais fácil falar de acordo com cada fotografia.

 

Tentando me conectar com o mundo, lol. 

 

Eu ganhei essa bolachinha no avião. É uma bolacha típica holandesa e é ótima. Vendem em praticamente todas as lojas, só que numa embalagem diferente para dar a entender que são caseiras. 

 

Esta foto diz muito para uma pessoa que ama chocolates como eu, kkk. Isto era dentro do aeroporto e eu fiz questão de passar por lá várias vezes para apreciar os cholocates todos.

 

Uma coisa ótima do aeroporto Schiphol é que há a estação de comboio (=trem) dentro dele, que nos leva diretamente ao centro de Amsterdam por um preço muito barato. A viagem custa apenas 8,20 euros, ida e volta. E, como foi a nossa primeira viagem, tivemos que comprar o cartão que é recarregável e custa 1 euro. #FicaaDica

 

Aqui, já tínhamos chegado ao centro de Amsterdam e estes são os elétricos da cidade.

 

 

 

Eu sempre soube do hábito que os holandeses têm de andarem de bicicleta, mas não imaginava que fosse tanto. Não sei se vocês conseguem ver bem, mas este estacionamento eram apenas de bicicletas...eram muitas, muitas, muitas!

 

Eu ia cortar este rapaz, mas deixei para poder lembrar das vezes que eu estava a andar e tomava um susto com cada pessoa que vinha a correr de bicicleta. 

 

 

A arquitetura dos prédios eram super engraçadas. Eles eram todos um pouco inclinados e pareciam que iam cair, a sério! Fui ao nosso amigo Google e li que, antigamente, os proprietários pagavam os imopostos de acordo com o tamanho da casa e, por isso, a maioria dos prédios em Amsterdam são estreitos e baixos. Sem falar que há um gancho em cima de cada prédio para "içar" qualquer móvel pela janela, já que não há espaço suficiente para transportá-los por dentro do prédio. E agora vocês se perguntam o que tudo o que eu acabei de escrever tem a ver com a inclinação, lol. A inclinação é para evitar que frigoríficos (=geladeiras), sofás ou qualquer outra coisa bata nas paredes na hora da mudança.

 

 

Aqui está a casa de Anne Frank, que mostrei melhor no vídeo. Vocês já leram o livro dela? Fala sobre uma adolescente judia, que viveu durante a segunda guerra mundial, e que, com a sua família, tentava refugiar outros judeus. Se quiserem saber mais, leiam o livro. Super indico! #MaisUmaDiquinhaDaCarol

 

 

 

 

Fico por aqui, pessoas. Já é tarde por estes lados e eu estou cheinha de sono. Qualquer dúvida ou outra coisa, podem me perguntar pelos comentários que eu respondo. Ah, digam-me também o que acharam do post. 

 

Boa noite, beijo e aquele abraço!

Pariseando - 3 em 1
09 Out 2014
// Turistando, POR Carolyne Veloso

Sim, é exatamente o que o título diz, "3 em 1", porque são os meus últimos três dias desfilando nas ruas de Paris e quero acabar logo com isso. 

Para começar, tenho as fotos da Torre dos dois lados em que podemos vê-la completamente. Neste dia, que foi no sábado, o jardim e todos os arredores estavam cheios de pessoas. Teve dança aeróbica e um grupo de rapazes que dançavam e faziam um espécie de teatro. Foi super engraçado!

 

 

 

 

 

 

 

Carrossel: Acho lindo, amoroso e com ar de princesa. #AMO

 

 

Jardim de Luxemburgo ou Jardin du Luxembourg

Eu não disse nos posts anteriores que foi super normal ver noivas pelas ruas?! Olha mais uma! Sem falar nesse carrinho (na minha terra se chama "fusca") que tinha uma beleza bem clássica. Gostei! E vocês?

 

 

 

 

O Jardim do Luxemburgo é lindo e é o maior parque público de Paris. Na primeira foto vocês podem ver o Palácio do Luxemburgo que, tal como o nome indica, fica situado no jardim.

 

 

A verdadeira Ponte das Artes, finalmente!

Foram tantas as pontes imitadoras, que quando encontrei a própria, nem fiquei muito empolgada para tirar fotos. Se ela quisesse, ela que me pedisse para tirar uma fotografia comigo. #prontofalei

 

 

Aqui vai uma montagem, porque se partilhar com vocês todas as fotos, nós não saímos mais daqui.

Reparem nestas duas últimas fotografias: a primeira é para mostrar a vocês que os jovens de lá têm ideias super inovadoras de como ganhar dinheio. Acho que eles podem fazer qualquer coisinha para vender sem ser preciso de muita burocracia. A segunda é de uma máquina de água com gás de graça e no meio da rua. Paris é outro nível, gente.

 

 

Baguetes, baguetes e mais baguetes

Sim, amigos, quem nunca ouviu falar nas famosas baguetes parisienses? Pode faltar tudo, mas não faltam baguetes. Até enjoa!

 

 

Pierre Hermé

A pastelaria é super famosa e o pasteleiro, Pierre Hermé, é considerado um dos melhores do mundo, o que implica uma fila de espera. Conclusão: Não entrei! :(

 

 

Lojas

 

Pelas ruas de Paris, encontramos todas as lojas possíveis, o que é ótimo para quem quer gastar (que não era o meu caso, claro!).

 

Forever 21: comprei uma coisinha por lá, uhuuuul! É uma pena que a loja não tenha em Portugal :(  Tem coisas super giras (=bonitas) e com preços super acessíveis.

 

É a loja da "Tiffany & Co", minha gente! Quem nunca viu o filme "Breakfast at Tiffany's"? Se não viram, recomendo! 

 

 

Aí, a pessoa vai andando pelas ruas de Paris e dá de cara com os paparazzi. Definitivamente, não é fácil ser uma Carolyne Veloso.

 

 

Les Invalides (ou Palácio dos Inválidos) é um museu de guerra. Fotos não me faltam, mas selecionei apenas algumas.

 

 

 

No mesmo dia e para fechar com chave de ouro, fomos ver a Torre durante a noite. Eu tinha a certeza que iria ficar encantada, mas fiquei mais do que imaginava. Sem falar no jogo de luzes que a torre tem nos dez primeiros minutos de cada hora. Também tenho vídeo deste momento, mas não sei passar para aqui. Depois, mas um depois bem longe, eu tento partilhar com vocês.

 

 

 

E demos início ao nosso dia indo à igreja. Para quem não sabe, a igreja é bem escondidinha porque fica dentro de um condomínio (o que tem grades verdes). Não basta entrar e pronto. Temos que entrar, andar, andar e andar até vermos o papel na porta da igreja que tem os dias e horários em que há cultos.

 

 

 

La Basilique du Sacré Coeur

A Basílica de Sacré Coeur está localizada no ponto mais alto da cidade e é o símbolo do bairro de Montmartre.

 

 

 

 

 

 

Vocês não podem imaginar o que este homem fazia com a bola. Todas as pessoas que subiam para o Sacre Coeur paravam para ver as habilidades que ele tinha. Também tenho um vídeo deste momento (mais um que não consigo passar para aqui sem antes me informar e aprender a editar vídeos). #PALMASPARAELE

 

 

Moulin Rouge: nada de especial!

 

Só para vocês terem uma ideia das linhas de metro.

 

Arc de Triomphe

 

 

 

Louvre durante a noite (cheio de luzes para tentar competir com a Torre, kkk).

 

 

 

Sobre o Museu do Louvre...

 

 

 

 

O que eu andei dentro do museu para tirar uma foto com a Mona, aff.

 

 

 

 

 

 

 

 

Au revoir, Courcelles! 

Bisous, bisous! 

 

 

// Turistando, POR Carolyne Veloso
Pessoas, prometo que não vou escrever tanto como no outro post. O que eu tenho para vos mostrar hoje são apenas algumas fotografias do nosso terceiro dia em Paris. O dia em que entramos na Torre Eiffel.
A dica do dia é: se vocês querem ir até ao último piso como nós fomos, não pensem em ir tão tarde. Nós fomos logo pela manhã, então nem demoramos muito a subir. Eu não queria passar pela experiência de alguns amigos meus que disseram: "Quando fui, fiquei numa fila enorme e nem consegui ir até ao último piso porque já não podia.". Felizmente não aconteceu o mesmo conosco. Compramos o bilhete para o último piso e, à medida que íamos descendo, fomos vendo tudo. Até tiramos fotos em cima de uma parte em que o chão era de vidro. Muuuuito emocionante!

Já no metro tem sinalizações para quem quer ir à Torre.

 

Olha ela aí, gente!

 

 

Não há nada mais confortável que o meu slipper do Romero Britto. AMO!

 

 

Dentro da Torre e no último piso, podemos ver o Gustave Eiffel e o Thomas Edison. A filha do mesmo está lá atrás, a Claire, mas não dá para vocês verem bem.

 

 

Vistas e mais vistas de Paris.

 

 

O chão que eu falei lá em cima é este. Ri muito pelo facto (=fato) de algumas pessoas terem medo de pisar aí, porque pensavam que iriam cair. Mas isso não se parte fácil, claro! Só que para quem tem medo de altura, é normal terem um certo medinho. Não tive medo e até meditei. Kkk

 

Tirei fotografias disto aqui só para vocês verem mesmo e compararem a altura de algumas torres. Reparem bem na altura da torre que há em Dubai (é mesmo a que tem um dedo em cima. Não estou a falar da que está ao lado.). É enorme!

 

No mesmo piso onde há casas de banho, há uma sala que passa um filme e mostra-nos a Torre desde o princípio e tal. É como se o filme estivesse dividido em duas partes: a primeira é a Torre durante o dia, e a segunda é durante a noite (como vocês podem ver na foto). Eu até gravei um vídeo, mas preciso editá-lo e não sei bem como se faz. Assim que conseguir, posto aqui para vocês verem ;)

 

Olhem aí o nosso barquinho. Que saudades do nosso Batobus!

 

 

 

Segunda parte do dia: Jardin des Plantes. Como o próprio nome indica, o jardim é mesmo cheio de plantas. Tem cada flor, que nem dá para eleger  a mais bonita. 

 

 

 

 

 

 

E ficamos por aqui! Hoje, como disse já no iníco, tentei dar uma resumidinha em tudo o que poderia falar. Acho que o essencial está aqui. Quem quiser detalhes ou ficou com alguma dúvida, pode comentar que eu respondo a tudo. 

Beijo, beijo, beeeeijo e aquele abraço para vocês!

 

 

 

Pariseando - parte 2
25 Set 2014
// Turistando, POR Carolyne Veloso

Boa noiteeee! 

Vamos continuar com o post de ontem, mas agora com detalhes e dicas de todos os lugares por onde passamos.

Para começar, temos aqui o "Jardin des Tuileries", que é lindo, por acaso. Na verdade, acho que todos os jardins de Paris são lindos. Como eu sou muito simpática, mais a baixo tem a fotografia com o horário de abertura do jardim. Portanto, quem for à França em setembro, que foi o meu caso, já sabe que este jardim está aberto das 7h às 21h. 

Ah, fomos parar nesse jardim porque íamos apanhar o barco, onde fazíamos 8 paragens por pontos turísticos. 

Algumas informações do barquinho:

O nosso era o "Batobus" e na altura em que nós fomos, ele funcionava das 10h às 19h e passava de 25 em 25 minutos, então podíamos descer, explorar o lugar onde estávamos e voltar a apanhar outro barco. Foi por isso que nós acabamos por ter milhares de fotos na Torre Eiffel, por exemplo. Só era preciso mostrarmos o nosso cartão, que como já nos conheciam, eles nem pediam mais para ver. Uma coisa MUITO importante: não se esqueçam de levar o cartão de estudante nem o cartão de cidadão ou residência, porque conseguimos sempre descontos e no Museu do Louvre, nós nem sequer pagamos por morarmos em portugal, que faz parte da União Europeia (mas esta regra era apenas para quem tinha até 25 anos). Para apanharmos o barco, por exemplo, 1 dia ficava por 10 euros e 2 dias por 12. Para quem não era estudante, 1 dia ficava a 16 euros e 2 ficava a 18. Nós compramos logo o bilhete para os dois dias, então tivemos o direito de andar dois dias de barco pelo rio Sena. Foi perfeito! As paragens eram: Musée D'Orsay, Saint-Germain-Des-Prés, Notre Dame, Jardin des Plantes, Hôtel de Ville, Louvre, Champs-Elysées e Tour Eiffel, que era de onde saía o último barco.

O bilhete do Batobus.

 

 

Acho que os nossos dois primeiros dias foram os dias mais frios, mas depois, para compensar os dias de frio, fez um calor que até parecia início de verão.

 

Achei muito engraçado, mas bem acolhedor essas cadeiras que haviam em muitos jardins. E não eram poucas, tá?! Eram o suficiente para quem quisesse descansar um pouco.

 

 

 

Lembram que no post anterior a  este, eu falei da ponte dos cadeados que não era a Ponte das Artes? Então, nessa ponte, haviam nomes marcados  edeixamos os nossos nomes e a data. Daqui a algum tempo, vamos voltar e ver o nosso nome gravado no corrimão da ponte, uhuuuuul!

Ah...haviam cadeados personalizados. Achei fofo!

Estão a ver esta parede colorida? Era um muro que podia-se escrever com giz como um quadro de sala de aula. Haviam imensas dedicatórias, assinaturas, desenhos, etc.

 

 

Vocês não sabem e nem imaginam a quantidade de vezes que saltamos para conseguirmos tirar uma fotografia a "voar". Kkkk

 

 

Esses quadros eram de uma pequena exposição que estava ou que pertencia mesmo a esse parque (acho que posso chamar de parque). Como vocês podem ver, no chão tinha um labirinto. Esse incrível casal andavavam por lá super divertidos a tentarem descobrir a saída.

 

E com vocês, a Catedral de Notre-dame!

 

Huuuum e mais não digo. 

 

 

 

Aqui está a miniatura da Catedral. Há uma mais antiga e outra mais recente. Acho que dá para vocês perceberem bem qual é qual.

 

Muito dinheiro para uma caixa só. Porque não nos deram? 

 

 

 

Os famosos "macarons". Quem gosta? Eu não gosto! São tão delicados, mas não sabem nada bem. Já os crepes com chocolate...Amo! Gosto mesmo muito de crepes, mas lá, eu fiquei enjoada porque só víamos crepes, baguetes, macarons...é o que se tem de mais comum para se comer pelas ruas.

 

Não, amigos! Ainda não é a ponte das artes! Essa foi a segunda ponte cheia de cadeados que encontramos enquanto estávamos a andar. 

 

Hôtel de Ville, muito lindo, tá?!  Fica na Praça do Município. 

 

 

Estão a ver essa bandeirinha do Brasil? É de um rapaz que veio falar conosco e jurávamos que ele era brasileiro porque o sotaque dele era perfeito, mas ele era francês. Falava muito, mas mesmo muito bem português do Brasil porque já morou lá por algum tempo. E por falar nele, por esses dias, ele está em terras Lusitanas.

 

O que vocês irão ver agora é uma loja de peças usadas e vintage. A loja tinha mesmo muita coisa e algumas malas eram super interessantes. Eu não percebi bem como funcionava a venda das roupas, porque em cada coisa tinham plaquinhas que identificavam o preço de cada peça, mas também mostravam o kilo. Enfim...não percebi! E quando eu pensei que já tinha percebido, vi que também tinham cores para cada coisa. Aquilo era meio confuso.

 

 

Próxima paragem: Museu do Louvre! Antes de chegarmos até ele ainda passamos por um jardim. Ok, na França pode faltar qualquer outra coisa, mas jardins não faltam.

 

 

 

Agora, vocês poderão ver algumas fotografias das ruas, da vista que tinha quando estava no barco, etc. Uma das coisas que achei super interessante foi ver tantas noivas nas ruas. Só nesse dia, eu vi seis noivas e a maioria eram chinesas (ou coreanas, ou japonesas...não sei porque todas tinham os olhos puxados, então não dá para diferenciar. Falo por mim.).

 

 

 

 

Piadinha do dia: Horas, horas e horas depois, passamos pela ponte das artes. Já eram tantos cadeados em vista, que quando passamos por aqui já nem tinha mais graça nenhuma.

 

 

Geeeeente, esse casal estava super amoroso nessa lancha. Acho que era um almoço romântico, mas só acho.

 

 

 

Última paragem do dia: Torre Eiffel. Como é óbvio, não podia esperar para descer do barco e tirar uma fotofrafia da Torre. Tirei logo!

 

Fomos privilegiadas por esse grupo. Eram ucranianas e cantavam super bem! Muito bem mesmo.

 

 

O post de hoje acaba por aqui. Espero que vocês tenham gostado.

Beijo e aquele abraço!

 

 

Pariseando - parte 1
19 Set 2014
// Turistando, POR Carolyne Veloso
Bonjour, mon ami! 
Sim, estou desatualizadíssima aqui no blog, mas tenho atualizado a minha fanpage no facebook, que para quem não sabe é esta: www.facebook.com/blogprontasparamatar
Quem me segue por lá, sabe bem que estive em Paris. Então, vou partilhar com vocês os meus looks, dar algumas dicas e mostrar todos os pontos turísticos que fui. Ah...não me posso esquecer de falar de como os franceses são clássicos. #osfrancesessãooutronível
 
Chegamos lindas e maravilhosas!
 
Gente, vamos começar por falar que no caminho do aeroporto até onde queríamos ficar, vi a Torre e fiquei super feliz, porque era um dos monumentos que mais queria ver. Tirei até uma foto para vocês verem, olhem aí:
 
 
Pessoas, como já disse, do aeroporto até mais ao centro apanhámos um autocarrro e, chegando ao nosso destino, o motorista foi super simpático e nos deu algumas dicas. Uma das coisas  que ele nos disse e que acho muito importante falar foi (e é): "cuidado com os carteiristas em Paris!". Parece inacreditável porque estamos na Europa, mas lá tem uns quantos "amigos" que gostam das nossas carteiras. Mas pronto, o "Aham" foi super simpático em nos nos ajudar. Sim, não lembro do nome dele e as meninas também não, mas sabemos que falava-se "Aham". Kkk. Na volta, nós não o vimos porque ficamos a saber que podíamos voltar de metro até ao aeroporto e era bem mais barato do que o bilhete do autocarro.
 
Olha o "Aham" aí, gente! 
Ele não é francês da gema, mas já deve viver em França há algum tempo.
 
No que diz respeito ao metro, vale lembrar que em Paris existem 14 linhas de metro e mais duas que são complementares da linha 3 e da 7. Aquilo é o máximo! Muitos andam automaticamente e têm rodas. Sem falar que andam bem rapidinho, o que facilita a nossa vida porque consegue-se chegar em qualquer ponta de Paris através do metro (sim, no Brasil é "metrô").
 
O nosso hostel era maravilhoso. Chamava-se "Bureau des Voyages de la  Junesse" e ficava no bairro de Courcelles. Lindo bairro, por acaso. As ruas eram super largas, os prédios tinham uma arquitetura bem clássica e eu amava ver as flores que haviam em quase todas as varandas porque eram super delicadas. 
 
 
 
Paris resumido em um só quadro.
 
 
Enfim...chegamos, andamos, exploramos o lugar e fiz as fotos do look do dia para  vocês. 
As cores principais foram: azul, caramelo e dourado. Acho que usar a mesma cor, mas com tons diferentes fica bem equilibrado e bonitinho.
 
 
 
 
 
 
 
Chegamos ao fim, mas é só o primeiro post de muitos que ainda tenho para mostrar. Espero que vocês gostem, comentem e sejam felizes!
Beeeijo e aquele abraço!
Alcácer do Sal
26 Ago 2014
// Turistando, POR Carolyne Veloso
Boa tarde, pessoas! 
Hoje, eu vim aqui mostrar a vocês um pouco de um lugarzinho que eu já visitei muitas vezes. A verdade é apenas uma: não tirei muitas fotos, porque nem pensava em postar nada. Só depois, mas bem depois, foi que eu percebi que poderia fazer um post simples, curto e básico, mas mesmo assim, sei que não tenho muitas fotografias :(
Por ser um lugar que eu já conhecia, explorei pouco e...e foi isso! 
Mas, para a miiiiinha infelicidade, a cidade passou por obras e estava super diferente daquilo que eu tinha em mente. Como eu poderia saber que as coisas estariam diferentes?! Já faziam alguns anos que não andava por lá. Enfim...tudo o que tenho está qui, meus caros! Tudo "bonitênho" (ou não) para vocês, uhuuuul. Com tudo isso, apresento-vos Alcácer do Sal, umas das cidades mais antigas da Europa e com o privilégio de ser alinhada sobre a margem do rio Sado.
 
A começar pelo parque de campismo onde fiquei e, em seguida, vocês podem ver a cidade ;)
 

 

 

 

Olha o rio ali atrás.

 

 

Aqui, vendem-se camarões. 

 

 

A vista é linda, mas no telemóvel não se vê assim tão bem.

 

É hora de dar tchau! 

 

 

De uma coisa, eu tenho a certeza: 
se esse Cristo falasse, ele diria: "Menina, para de tirar fotos minhas!". #muitastentativasfalhadas
 
Um pouco de história: Para quem não sabe, a origem do Cristo vem desde há muito tempo! Desde 1934, quando D. Manuel Gonçalves Cerejeira  viu a imagem do Cristo Redentor no Rio de Janeiro e teve a ideia de construir a mesma obra em Lisboa, sendo inaugurado apenas em 1959. Mais informações, para quem gosta de história, Google para vocês!
 

Ponte 25 de Abril pela manhã e durante a noite.

 

A ponte fica linda e cheia de luzes que, infelizmente, não deu para mostrar bem a vocês.

 

É isso! Comentem e partilhem :)

Beiijo e aquele abraço! 

// Turistando, POR Carolyne Veloso

Boa Tardeee!

Pessoas, mil desculpas por só ter novidades agora, mas não deu para postar nada antes. 

Faço questão de repetir o que escrevi como título: Lisboa é uma cidade linda, mas o Porto me encanta. Eu não sei explicar bem o motivo, mas é isso...me gusta! Sim, Lisboa é a capital, mas quem acha que não deve ir ao Porto, não sabe o que está perdendo. Para quem não sabe, o Porto está entre uma  das cidades mais visitadas do mundo, tá?! A minha mãe já morou lá há alguns anos atrás e me falava sempre muito bem da cidade. Acho que isso já me ajudou a ficar encantada. Já lá tinha ido em 2012, mas agora fui como blogueira, ahah! Tenho que confessar que as minhas fotos de 2012 ficaram bem melhores do que as de agora, mas tudo bem. Ah, e eu tinha um "guia", lol...que guia, que nada! Era meu amigo mesmo.

 

E tudo começou assim: 

 

Fale quem quiser falar! As mulheres viajam com a mala a explodir, mas têm tudo o que é preciso.

 

 

 

 

Juntei as fotos de todas as ruas.

 

 

 

 

 

 

 

Rua parecidíssima com as ruas do Martim Moniz.

 

E paramos para almoçar. A parte da pastelaria enlouquecia quem ama doces: EU!

 

A famosa Francesinha

É um prato típico e originário do Porto. Leva pão, ovo, queijo, bife e um molho feito à base de tomate, cerveja e piri-piri (pimenta). Deve ter mais uma coisa ou outra. Ah, as batatas fritas não fazem parte do prato, mas servem de acompanhamento. Há quem diga que é muito bom (sim, eu nunca provei!). Acho que o ovo que vem por cima não me agrada muito. Um dia, eu experimento e partilho com vocês.

 

Tirei a foto do muro com os azulejos porque é algo bem comum aqui em Portugal. Quem já foi à Olinda, sabe que lá tem algumas ruas bem parecidas com Portugal, justamente por causa dos azulejos.

 

Centro Comercial Via Catarina. Bem pequeno, mas agradável.

 

 

Achei essa rua bem engraçado por causa do contraste dos prédios. De um lado, tem um prédio todo bonitinho e moderno. Do outro, tem alguns prédios todos "feinhos".

 

 

A arte de andar: "caminhando, e cantando e seguindo a canção.".

 

Cada minuto é um flash!

 

 Avenida dos Aliados, onde fica a Câmara Mucicipal do Porto (foto logo a baixo).

 

 

Andamos muito durante o dia, mas a noite é uma criança e fomos jantar.

Acredito que estava tudo muito bom, mas eu já estava com alergia e, para "melhorar", acabei por ficar gripada. Resultado: nariz e ouvidos entupidos. Eu não sentia o gosto de nada, não ouvia muito bem. Para quem acha que eu estava meio que uma morta ambulante, acertou! Pronta para matar...as pessoas de susto! Lol

 

Parte mais linda de todas: Ribeira. Me encanta!

 

 

Para quem pensava que eu não poderia viver no meu mundinho cor de rosa, olha aí:

 

Como diziam os teletubbbies: "é hora de dar tchau!".   :(

Estação de São Bento

 

 

 

 

Estação de São Bento à noite. 

 

Já em outra estação...

Essa última foto, eu consegui tirar já dentro do comboio (= trem). A vista era linda.

 

Fiz um momento "making of". De tantas fotos que foram tiradas sem aviso prévio, escolhi algumas para o momento.

Vou só explicar a última foto, lol. Estava mesmo muito frio e eu resolvi me deitar no banco e ficar "cara a cara" com o Sol. A senhora que também está deitada não é minha amiga. Ela também devia estar cheinha de frio, então deitou-se ao pé de mim (literalmente) e fez-me companhia.

 

E fico por aqui! Espero que vocês tenham gostado.

Para quem ainda não conhece o Porto, eu super indico!

Beeeeeeijo e aquele abraço!