Pariseando - parte 2
25 Set 2014
// Turistando, POR Carolyne Veloso

Boa noiteeee! 

Vamos continuar com o post de ontem, mas agora com detalhes e dicas de todos os lugares por onde passamos.

Para começar, temos aqui o "Jardin des Tuileries", que é lindo, por acaso. Na verdade, acho que todos os jardins de Paris são lindos. Como eu sou muito simpática, mais a baixo tem a fotografia com o horário de abertura do jardim. Portanto, quem for à França em setembro, que foi o meu caso, já sabe que este jardim está aberto das 7h às 21h. 

Ah, fomos parar nesse jardim porque íamos apanhar o barco, onde fazíamos 8 paragens por pontos turísticos. 

Algumas informações do barquinho:

O nosso era o "Batobus" e na altura em que nós fomos, ele funcionava das 10h às 19h e passava de 25 em 25 minutos, então podíamos descer, explorar o lugar onde estávamos e voltar a apanhar outro barco. Foi por isso que nós acabamos por ter milhares de fotos na Torre Eiffel, por exemplo. Só era preciso mostrarmos o nosso cartão, que como já nos conheciam, eles nem pediam mais para ver. Uma coisa MUITO importante: não se esqueçam de levar o cartão de estudante nem o cartão de cidadão ou residência, porque conseguimos sempre descontos e no Museu do Louvre, nós nem sequer pagamos por morarmos em portugal, que faz parte da União Europeia (mas esta regra era apenas para quem tinha até 25 anos). Para apanharmos o barco, por exemplo, 1 dia ficava por 10 euros e 2 dias por 12. Para quem não era estudante, 1 dia ficava a 16 euros e 2 ficava a 18. Nós compramos logo o bilhete para os dois dias, então tivemos o direito de andar dois dias de barco pelo rio Sena. Foi perfeito! As paragens eram: Musée D'Orsay, Saint-Germain-Des-Prés, Notre Dame, Jardin des Plantes, Hôtel de Ville, Louvre, Champs-Elysées e Tour Eiffel, que era de onde saía o último barco.

O bilhete do Batobus.

 

 

Acho que os nossos dois primeiros dias foram os dias mais frios, mas depois, para compensar os dias de frio, fez um calor que até parecia início de verão.

 

Achei muito engraçado, mas bem acolhedor essas cadeiras que haviam em muitos jardins. E não eram poucas, tá?! Eram o suficiente para quem quisesse descansar um pouco.

 

 

 

Lembram que no post anterior a  este, eu falei da ponte dos cadeados que não era a Ponte das Artes? Então, nessa ponte, haviam nomes marcados  edeixamos os nossos nomes e a data. Daqui a algum tempo, vamos voltar e ver o nosso nome gravado no corrimão da ponte, uhuuuuul!

Ah...haviam cadeados personalizados. Achei fofo!

Estão a ver esta parede colorida? Era um muro que podia-se escrever com giz como um quadro de sala de aula. Haviam imensas dedicatórias, assinaturas, desenhos, etc.

 

 

Vocês não sabem e nem imaginam a quantidade de vezes que saltamos para conseguirmos tirar uma fotografia a "voar". Kkkk

 

 

Esses quadros eram de uma pequena exposição que estava ou que pertencia mesmo a esse parque (acho que posso chamar de parque). Como vocês podem ver, no chão tinha um labirinto. Esse incrível casal andavavam por lá super divertidos a tentarem descobrir a saída.

 

E com vocês, a Catedral de Notre-dame!

 

Huuuum e mais não digo. 

 

 

 

Aqui está a miniatura da Catedral. Há uma mais antiga e outra mais recente. Acho que dá para vocês perceberem bem qual é qual.

 

Muito dinheiro para uma caixa só. Porque não nos deram? 

 

 

 

Os famosos "macarons". Quem gosta? Eu não gosto! São tão delicados, mas não sabem nada bem. Já os crepes com chocolate...Amo! Gosto mesmo muito de crepes, mas lá, eu fiquei enjoada porque só víamos crepes, baguetes, macarons...é o que se tem de mais comum para se comer pelas ruas.

 

Não, amigos! Ainda não é a ponte das artes! Essa foi a segunda ponte cheia de cadeados que encontramos enquanto estávamos a andar. 

 

Hôtel de Ville, muito lindo, tá?!  Fica na Praça do Município. 

 

 

Estão a ver essa bandeirinha do Brasil? É de um rapaz que veio falar conosco e jurávamos que ele era brasileiro porque o sotaque dele era perfeito, mas ele era francês. Falava muito, mas mesmo muito bem português do Brasil porque já morou lá por algum tempo. E por falar nele, por esses dias, ele está em terras Lusitanas.

 

O que vocês irão ver agora é uma loja de peças usadas e vintage. A loja tinha mesmo muita coisa e algumas malas eram super interessantes. Eu não percebi bem como funcionava a venda das roupas, porque em cada coisa tinham plaquinhas que identificavam o preço de cada peça, mas também mostravam o kilo. Enfim...não percebi! E quando eu pensei que já tinha percebido, vi que também tinham cores para cada coisa. Aquilo era meio confuso.

 

 

Próxima paragem: Museu do Louvre! Antes de chegarmos até ele ainda passamos por um jardim. Ok, na França pode faltar qualquer outra coisa, mas jardins não faltam.

 

 

 

Agora, vocês poderão ver algumas fotografias das ruas, da vista que tinha quando estava no barco, etc. Uma das coisas que achei super interessante foi ver tantas noivas nas ruas. Só nesse dia, eu vi seis noivas e a maioria eram chinesas (ou coreanas, ou japonesas...não sei porque todas tinham os olhos puxados, então não dá para diferenciar. Falo por mim.).

 

 

 

 

Piadinha do dia: Horas, horas e horas depois, passamos pela ponte das artes. Já eram tantos cadeados em vista, que quando passamos por aqui já nem tinha mais graça nenhuma.

 

 

Geeeeente, esse casal estava super amoroso nessa lancha. Acho que era um almoço romântico, mas só acho.

 

 

 

Última paragem do dia: Torre Eiffel. Como é óbvio, não podia esperar para descer do barco e tirar uma fotofrafia da Torre. Tirei logo!

 

Fomos privilegiadas por esse grupo. Eram ucranianas e cantavam super bem! Muito bem mesmo.

 

 

O post de hoje acaba por aqui. Espero que vocês tenham gostado.

Beijo e aquele abraço!

 

 


//Comentários (0)

Enviar